Thursday, 23 October 2008

Feridas da e na alma

Diz o povo que as feridas da Alma são difíceis de curar.
E tem razão o povo.

Hoje foi o primeiro dia de muitas conversas a que a CN será sujeita por vias de trabalhar e ultrapassar uns certos acontecimentos a que eu, mãe babada, presente, activa, blá, blá, blá não consegui evitar. Os sentimentos de injustiça e impotência já eu os trabalhei. Mais uns quantos esqueletos para o meu grande armário, mas não é sobre mim que hoje escrevo.

Saiu a CN cansada, moída, com o piscar de olhos da Dra. V. dizendo-me baixinho que era normal. Fala-nos para os olhos e ouvem-nos olhando-nos directamente, sem julgamento mas inquisitivos.

Na sala de espera vejo outros olhos. Mães, pais e avós que levaram ali os seus rebentos. Não são estropiados, não têm qualquer sinal externo de maleita, não são doentes crónicos, mas percebo nos olhos dos adultos o cansaço, a mágoa, o desespero.

A menina, linda, não mais de 5, 6 anos, parece uma Barbie, ri enquanto brinca com o pai. Estou sozinha enquanto aguardo a CN sair da sua “conversa”. A Barbie olha para mim e ri. Rio de volta. A Mãe cruza o olhar com o meu e percebo. O mar aparece nos quatro olhos apesar de rirmos as duas. A profissional de saúde aparece e mete conversa com a Barbie. Entre muitos sorrisos e palavras de encorajamento é decidido a mãe ir juntamente com a Barbie porque começou entretanto a choramingar.

Vejo a mão daquela mãe pegar solidamente na mão da pequena Barbie, que ri agora, e vão as duas. “Mãe, vou-te mostrar o que fiz na última vez que cá estive!”

O pai fica sozinho e leva muito delicadamente a mão ao bolso, tira um lenço e barra aquele mar que entretanto rebelou olhos fora. Baixo o olhar para não dar a perceber mas cruzo-me com o dele. Sorri e digo-lhe coragem com o meu.

Costumo dizer que este ou aquele post não é triste. Este não é um desses. Não é desesperado mas apenas de solidariedade para aqueles pais e mães de Barbies e Príncipes que tudo fazem para esconder os mares e que dão as mãos solidamente aos seus rebentos.

Coragem!!!

9 comments:

Once said...

beijo terno .. *

Nocas Verde said...

Once, querida
Grata* :)

Anonymous said...

(¨,)

J.

Nocas Verde said...

Caro(a) Anonymous,

Obrigada.
(como não sei quem é nem o que significa o símbolo que colocou vou depreender que quis demonstrar a sua solidariedade...)
perdoe a minha info-exclusão :)

Bongop said...

ehehe dou-te a minha toda a minha solidariedade... tenho três filhos!

drengo said...

...uma tentativa de deixar um simples sorriso, mas não deu...

...gostei de demasiadas coisas para comentar aqui, neste post, no blog todo.

...e deixe lá, a sua info-exclusão (a existir) não prejudica a sua capacidade de comunicar emoção...

J. (com fato)

Luísa said...

Querida Nocas, o único consolo que há nestas situações é pensar que os pais sofrem, mas as crianças… talvez não… ou não muito. :-)
Um beijinho, e que corra tudo bem.

Nocas Verde said...

Bongop,
Três???? Bem... a minha solidariedade para aí também!

Caro Drengo,
Grata eu pela visita.
Entre sempre que quiser e esteja à vontade!!!
Muito obrigada pelo comentário!
Volte, sim?

Nocas Verde said...

Querida Luísa,

Repito-me, não é? Mas tem TODA a razão. A nossa única esperança é que eles não sofram (muito...)!

Obrigada pelos votos
Beijinho para si também!