Wednesday, 24 September 2008

Em português

Hoje, ao que parece, será a Primeira Vez que alguém discursará em português nas Nações Unidas.

Só isso deveria alegrar-me. Se bem que não concordo que a nossa pequenez (ou não) possa ser aferida da probabilidade de haver funcionários tradutores de português nas Nações Unidas (até porque, assim de repente, e tendo em conta uma suposta predisposição para o poliglotismo tuga, diria que já existem tradutores portugueses lá por essas bandas), quer-me parecer um marco importante, esta do PR insistir em discursar na língua nossa.

Mas pode ser que não. Pode apenas ser um brio que ele tenha, muito louvável, aliás, em não querer dar verdadeiros pontapés na língua de Shakespeare ou Napoloeão... coisas como "simpathetic conversation" ou outros acidentes linguísticos serão, no mínimo, alvo de chacota… já para não falar numa vertente que (eu) acho importantíssimo como o sotaque.

Just for fun,
Deixo aqui 2 acidentes linguísticos que presenciei:

Pessoa A – (blá, blá, blá) the local to change the actions…
Pessoa B - ??? Senhor A, que quer dizer?
Pessoa A – O local para fazer a troca das acções, dos títulos…
Pessoa B – (…) “The place to exchange the shares”??...
Pessoa A – Não, não e não. A Senhora B não está a perceber. Isto é inglês técnico.

(…)

Pessoa C (secretária, ao telefone) – Please, I want to speak with Mr. X.
(…)
Pessoa C – Ok. I connect you. (faz a ligação para o superior e passa o Mr. X. Depois para colega) Olha qu’esta! Acabaram de me corrigir!
Pessoa D (colega) – Porquê?
Pessoa C – O Mr. X… corrigiu-me. É “I want to speaking” que se diz!…

3 comments:

Once said...

bom .. que dizer? a começar pelo "i want to speak" e a acabar no connect .. (risos)

Quanto ao discurso acho bem. Para rídiculo já basta as outras figurinhas a que se presta quem é suposto representar-me.

Beijito **

Luísa said...

Se calhar, querida Nocas, o PR fala em português pelas duas razões que aponta: para promover a nossa língua (que é também falada nalguns dos países com mais elevada taxa de crescimento do mundo) e para não cair no ridículo. Terá, certamente, muito vivas na memória (todos temos) certas experiências recentes com esse tal «inglês técnico»… :-)

Nocas Verde said...

Querida Once,

Como ser vir cafés em "cimeiras"... remember?

Querida Luísa,

... cair no ridículo...
Ok, Ok, que belo inglês técnico.

beijos às duas