Wednesday, 28 May 2008

Hoje fui às compras







Queria um raio de sol.

Construi umas asas, qual Ícaro (mas com cola daquela dos cientistas) e
apanhei-O.







Só para ti!






Queria uma gota de orvalho, por favor!


Acordei cedíssimo, corri para Aquela árvore e
apanhei-A



Só para ti!



Queria uma aurora Bureal.


Vajei de comboio, avião, a pé, a nado e esperei
(esqueci-me que Elas só aparecem em certas alturas do ano!!)

Esperei
Esperei
Esperei

E apanhei-A


Só para ti!

Queria uma onda. Grande, imponente, avassaladora.
Fui até à praia (não digo qual) e
apanhei-A
Só para ti







Queria uma Voz para cantar
e disseram que era impossível.
Que tinha uma voz boa para estar calada
Só para ti...

Então roubei a voz do Nat King Cole... mas não deu

Viajei no tempo e escrevi a letra de uma música. Dei-a ao Charlie Chaplin para musicar.
O brincalhão disse que era dele. Mas fez o que eu quis.

Deu-a ao Nat King Cole para cantar

Só para ti!

Smile though your heart is aching
Smile even though it's breaking
When there are clouds in the sky, you'll get by
If you smile through your fear and sorrow

Smile and maybe tomorrow
You'll see the sun come shining through for you
Light up your face with gladness
Hide every trace of sadness

Although a tear may be ever so near
That's the time you must keep on trying
Smile, what's the use of crying?
You'll find that life is still worthwhile
If you just smile
___________________________
10 Mulher virtuosa, quem a pode achar? Pois o seu valor muito excede ao de jóias preciosas.
13 Ela busca lã e linho, e trabalha de boa vontade com as mãos.
14 É como os navios do negociante; de longe traz o seu pão.
15 E quando ainda está escuro, ela se levanta, e dá mantimento à sua casa, e a tarefa às suas servas.
16 Considera um campo, e compra-o; planta uma vinha com o fruto de suas maos.
17 Cinge os seus lombos de força, e fortalece os seus braços.
18 Prova e vê que é boa a sua mercadoria; e a sua lâmpada não se apaga de noite.
19 Estende as mãos ao fuso, e as suas mãos pegam na roca.
20 Abre a mão para o pobre; sim, ao necessitado estende as suas mãos.
21 Não tem medo da neve pela sua família; pois todos os da sua casa estão vestidos de escarlate.
22 Faz para si cobertas; de linho fino e de púrpura é o seu vestido.
24 Faz vestidos de linho, e vende-os, e entrega cintas aos mercadores.
25 A força e a dignidade são os seus vestidos; e ri-se do tempo vindouro.
26 Abre a sua boca com sabedoria, e o ensino da benevolência está na sua língua.
27 Olha pelo governo de sua casa, e não come o pão da preguiça.
28 Levantam-se seus filhos, e lhe chamam bem-aventurada, dizendo:
29 Muitas mulheres têm procedido virtuosamente, mas tu a todas sobrepujas.

1 comment:

silvia.marau said...

é a canção mais linda de sempre, obrigada...

Beijos verdes