Wednesday, 21 January 2009

A Teoria do Caos (ou da frigideira)





Uma gota de água escolhe um caminho, aleatório, para fazer o seu percurso. Apesar do caminho iniciado pela pioneira estar já desbravado é contrariado por uma outra, depois por outra. Um outro caminho pioneiro é tentado por ainda outra gota pioneira e sem dar conta a superfície é toda abrangida pela água.

Life will find a way – dizia o professor, amante de estrangeirismos – a Teoria do Caos remete para o aleatoriamente aleatório. Tão aleatório que deixa de o ser. O traçado inicial tem um considerável índice de atrito logo seria de pensar que todas as outras seguissem esse traçado, agora com um atrito muito menor. Mas não. Apesar da escolha entre o impossivelmente difícil e o já desbravado há sempre uma gota que decide pelo menos fácil. Resiste, demora mas segue em frente.

E se formos para líquidos menos fluidos aumentem a dificuldade. O resultado é o mesmo. A superfície acaba, eventualmente, por ficar toda coberta do líquido.

O traçado de um rio exemplifica isso mesmo. Dizemos que o rio escolhe o caminho mais fácil, com a força da gravidade a exercer a predominância nas escolhas mas rios existem que sobem, esculpem montanhas, seguem para Norte, contrariando a regra, preferindo a paciência do “gota a gota” ao facilitismo do “já traçado”.

(tudo porque ontem o F. me pediu que pusesse um pouco de azeite a cobrir uma frigideira)

2 comments:

Luísa said...

Assim se rememoram as leis da vida no fundo de uma frigideira, Nocas… ;-D

nocas verde said...

é o que dá chegar sempre DEPOIS do jantar feito... perde-se a prática, ganham-se inspirações filosóficas :)