Thursday, 29 January 2009

Se eu fosse um rapaz ainda que só por um dia
Saia da cama de manhã
E punha qualquer coisa que quisesse
E ia beber cerveja com os rapazes

Andaria atrás de raparigas
Bateria em quem quisesse
E nunca seria importunado pelas minhas acções
Porque os rapazes me ajudariam sempre

Se eu fosse um rapaz
Eu acho que conseguiria perceber
Como é amar uma rapariga
Juro que seria um homem melhor

Ouvi-la-ia
Porque sei o quanto magoa
Perdermos aquela que queremos
Porque ele tem-te por garantido
E tudo o que tinha ficou destruído

Se eu fosse um rapaz
Desligaria o meu telephone
Diria a todos que está estragado
Para que pensassem que dormia sozinho

Colocar-me-ia em primeiro lugar
E faria as regras à minha medida
Porque sei que ela seria fiel
Esperando que chegasse a casa

É um pouco tarde para regressares
Dizeres que foi só um erro
Pensar que eu te perdoaria assim
Se pensaste que eu esperaria por ti
Pensaste mal

Mas tu és apenas um rapaz
Tu não percebes
Como é amar uma rapariga
Algum dia desejarás ter sido um homem melhor

Tu não a ouves
Não te importas o quanto possa magoar
Porque a tomas como certa
E tudo o que tinhas ficou destruído
Mas és apenas um rapaz
______________

Não... estejam sossegados... não acordei taralhoca a achar (erradamente... oh quão erradamente) que me tinha tornado poetisa!

Eu explico:

Quando não dá nada de jeito na televisão (o que acontece, por via da regra, noventa por cento das vezes que a vemos) e o frio não encoraja outra actividade que não envolva embrulho na manta gorda do sofá, viramos para os canais de música. Vemos, gozamos, cantamos (esta última provoca umas reacções pouco filiais mas «what the heck» eles são meus filhos - têm que me aturar!).

Quando aquela música dá pego no comando para mudar, não gosto da menina, não gosto dos clips - a não ser aquele em que ela cai redondamente pela escadaria, coitada! - mas sou impedida pela CV. «pronto - penso eu - as hormonas a falar mais alto. até porque é gira - é? - e tal»
- Já viste isto?
- hum, hum. é gira. - é por estas alturas que sei que das duas uma: ou ainda não estou velha, porque este ódio engasgado a miudas giras bem feitas e sensuais não é compatível com uma "certa idade"; ou já estou gagá e roída de inveja por todas aquelas que não tenham um pingo de celulite.
Adiante...
- Não - diz a Cv - não é nada disso! - imaginem isto dito com alguma violência quase cómica pelas alterações sucessivas de soprano a baixo (coisas da mudança de voz), não fosse eu uma mãe pedagogicamente correcta...... - já viste o que ela diz? que imagem faz dos homens? é estúpido. E depois... se ela fosse um rapaz?!
- Pois - remata a CN - é humilhante para os rapazes. E para o pai também... (ainda tenho que lhe perguntar porque fez ele a diferença entre os rapazes e o pai!)
(pensem o que quiserem. juro que não lhes enfio tretas femininistas pela cabeça abaixo)
- Ah - penso eu em voz alta, que nunca tinha parado mais de dois segundos a ouvir a dita letra - pois é um bocado parva.
- Dizer que todos os rapazes são assim... "you're just a boy"?! E depois - remata a CV - se ela quisesse respeito não se punha assim nestas figuras!


O F., perdido de riso, eu com culpas no cartório de certeza, viramos para o VH1 e cantamos em coro uma grande malha que estava a dar. podia inventar, mas não me lembro mesmo qual era... se calhar não era assim tão grande... depois da Beyonce tudo é uma grande malha.

Um bom dia para todos

2 comments:

silvia.marau said...

está bem ela é gira, um bocadinho para o redondinha,
mas minha amiga no alto dos nossos trintamaisiva celulite nem na ponta do cabelo, giras que se farta... estou certa ao falar no plural, não estou?

Beijos

nocas verde said...

Querida Silvia,

só tu!!!
beijos