Thursday, 4 December 2008

Natal sem mal


É tradição (dizem) levar as crianças ao Circo.



Lá em casa, não saberei nunca se por formação genética ou influência parental, não somos adeptos do Circo... ou melhor, do Circo com animais.

Este fim-de-semana demos o Golden Circus (ou coisa que o valha) no zapping televisivo.
Sem qualquer combinação sentámo-nos a ver os fantásticos malabaristas e outros e até aguentámos uns palhaços com pouca graça que por lá apareceram.
Quando anunciaram a exibição dos elefantes - qual mola despoletada do sofá - dispersou-se a quadratura sem qualquer comentário...

Para esta Vossa Verde - já ladeei o que sempre pensei sobre o assunto - é obra concluida a exclusão absoluta de actuações com animais.

Este nosso menino é toda a circanice (expressão da CN) que gostamos de ver.

Ainda assim é importante para mim continuar a obra de espalhar e divulgar as barbáries que ainda existem.

Ainda assim, ou por ser ainda assim, é muito importante divulgar os desenvolvimentos civilizados que vão ocorrendo, razão porque Vos deixo esta notícia, recebida via "Animal".

Foi notícia em diversos órgãos de comunicação social, incluindo no “Diário de Notícias” (edição de 1 de Dezembro de 2008, “Fim das Touradas Provoca Polémica”), que a Câmara Municipal de Viana do Castelo vai adquirir a praça de touros de Viana do Castelo e transformá-la num Museu de Ciência Viva, transformando um espaço que até aqui era usado como palco de tortura de animais na tourada anual que tinha lugar nesta cidade num espaço moderno e educativo de educação e divulgação científica onde mais nenhum animal será vítima de maus tratos.


Para os que ainda não sabem (?) ou consideram excessivo o que se diz para aí sobre o tratamento dos animais nos circos remeto-Vos um excerto do texto e o link do relatório completo...

Comportamentos Estereotipados
Vivendo nestas condições tão pobres e anti-naturais, não espanta que muitos destes animais enlouqueçam verdadeiramente. Os comportamentos estereotípicos frustrados e repetitivos tomam conta deles. Estes movimentos sem sentido, com os animais já não conscientes do que os rodeia, não são observados no meio selvagem e são considerados pelos especialistas em comportamento animal como sinais claros de stress


2 comments:

Luísa said...

Também nunca senti nenhuma atracção por circo, querida Nocas. Chegava a chorar de medo dos palhaços. E concordo consigo que o circo envolve, quase invariavelmente, maus-tratos para os animais, sobretudo os não domésticos. Lembro-me de, há tempos, ter visto os leões de um circo numa jaula, em hora que não era, obviamente, de espectáculo, e metiam pena no seu «drogado» imobilismo.

nocas verde said...

Querida Luísa,

Seja muito bem-vinda!
Infelizmente digo-lhe que a expressão "quase invariavelmente" é, no mínimo, eufemística. É muito, muito raro os animais circenses serem tratados de outro modo que não pelo medo e maus tratos constantes e brutais. Aconselho-a, caso queira - de facto - a ver o relatório que ali deixo e de outros que a Animal lá tem.
Infelizmente, mesmo os "domésticos" são tratados na esmagadora marioria de modo que nem sem classificar.
Aliás falo de pesquisas pessoais, não de textos ou relatórios alheios. É só passear nas redondezes de acampamentos circenses em horas de não espectáculo para vê-lo... o espectáculo verdadeiro.

Um grande beijo e que tudo na sua viagem tenha sido óptimo!
*