Monday, 22 October 2007

O meu dia

Como digo sempre a uma certa amiga minha...

Nunca fui a minha maior fã... e nunca foi escondido ou conflituoso. Era até bastante pacífico(!)

Não gostava de mim e não me achava merecedora do que tinha.

Nem vale a pena reflectir sobre as causas e origem deste sentimento. Era um facto.

Com o passar dos anos fui aprendendo a suportar-me e descobri ultimamente que, de vez em quando, tenho orgulho em mim. E o facto de reconhecer que tenho esse tal orgulho esporádico, faz-me sentir mais orgulhosa deste meu processo (nem sempre simples) de me apaixonar... por mim.

No Sábado foi o meu aniversário. A festinha foi linda... (obrigada café)

Mas não vale a pena fazer anos se não for para fazer um certo balanço, um olhar em frente para um ciclo que começa.

Tinha receio de o 33.º ano da minha vida fosse um caminho para o calvário, se fosse a ter em conta a numerologia. Mas não foi.

Embarquei, no início do ano civil, numa nova aventura profissional.
Retomei, lá para Fevereiro, uma aventura (esta) de escrita virtual, de exercício blogueiro.
Em Setembro tomei um passo que, se não for maior que as minhas pernas, poderá ser um dos mais importantes ou, pelo menos, marcantes do meu percurso.

Não. Não fui crucificada. Mas foi durante alguns dos piores momentos deste ano, enquanto me debatia com coisas que aqui não explicarei sequer, que descobri o meu orgulho... em mim...

Orgulho das conquistas e até das derrotas... Crucificação? Bastou Um!

Assim, e numa de agradecimento / nomeação / qualquer-coisa nomeio aqueles que me ajudaram nestes meus 34 anos a ver que sou uma verdejante pessoa; que elas não matam, moem sim senhora, mas a caravana passa... ladrem à vontade

- Deus Nosso Senhor, meu amigo, meu Redentor, meu Salvador pelo amor incondicional
- O meu pai, que lá estará a torcer por mim como o fez em vida
- F, ensinaste-me a ver-me com os teus olhos
- Crias - a minha melhor criação. Quem cria uns seres assim, tem que ter algum valor
- Amiga café - a tua confiança transborda e fui, com toda a certeza, contagiada por alguma... lol a amizade não se mede, de facto pela linha do tempo
- Amiga Loura - linda menina, inteligente, competente - minha companheira

Aos outros, principalmente aos que me destratam... têm que me aturar. Estou para ficar mais um grande bocado e estou, definitivamente, cá para ganhar.

Um bom ano

E, já agora, façam o favor de responder ao meu Desafio Prista!!! Se precisarem de ajuda, enviem os Vossos textos para o meu e-mail...
Beijos

6 comments:

Once In a While said...

amiga café soa-me bem .. (risos) e logo eu que bebo chávenas de café duplo ! ;)
Querida amiguinha verde .. que este ano que começa seja fantástico, pautado por conquistas .. daquelas com sabor .. quem sabe alguns revezes, do que nos "endurecem" a apuram o paladar :)
Eu aqui estou para te ver .. vencer!

Beijinho

Nocas Verde said...

Eu aqui estarei, God willing, para partilhar contigo...
Obrigada pelos desejos.

Kisses

Nana said...

Cada ano que passa nos tràs qualquer coisa, nem sempre o que esperàvamos, nem sempre bom, ,nem sempre mau ...
E como dizem os francêses "ce qui ne nous tue pas nous rend plus fort" !
Por isso, força ! que a vidinha ainda vai curta ! (somos supostos ser centenàrios, todos !)

Nocas Verde said...

Nana... como é verdade!
Aquilo que não nos mata torna-nos mais fortes (entendi bem?)... Mas, às vezes, gostava de ser um pouco mais fraca, percebes?
bjs e obrigada

María&Peste said...

Identifico-me tanto com o inicio deste post.....ou não fosse eu também uma balança( um pouco desiquilibrada..)


Bjnhos

Nocas Verde said...

maria&peste
Obrigada por cá vires! (des)equilibrada quanto baste... porque esta vida!!! E então com peste(s)
Volta sempre!!