Wednesday, 13 August 2008

13 de Agosto

O dia acordou normal.

Digo o dia acordou e não eu acordei porque EU não dormi.

Dei entrada às 9.00 da noite anterior e não dormi um segundo. Porquê? Porque na cama ao lado alguém gemia. E gemia. E gemia.

Por volta de tarduncho da madrugada levantei-me e procurei a enfermeira de serviço. Pedi que a ajudassem.

Lembro-me ainda da cara dela. Ali estava eu, cheia de tubos a pedir ajuda. Sorriu e disse-me em tom de censura meiga: desligou o CTG porquê? Desculpe, respondi. É que eu não consigo dormir.

A "gemedora" ressonava e gemia. Nunca soube o porquê do gemer. Mas lá passei a noite em branco.

De manhã começaram as dores mas inconsequentes naquele "leitor de dores". Já esperava. Já era o segundo. Sabia o que me esperava e receei por isso mesmo.

Quando o médico apareceu lá vaticinou que não tinha qualquer dilatação. Indução começada, aguenta e espera. No meio tive a boa notícia que o bebé tinha "dado a volta" algures entre a última ecografia e aquele dia. Já não era certo a cesariana.

As dores e contracções continuaram pelo dia e a boa disposição foi-me abandonando. Respirações aprendidas e praticadas pelo "método psico-profilático".

13.00 desço para a sala de partos. 3 cm de dilatação e a amorosa enfermeira a pedir-me que "tenha paciência"
- Drogas, por favor!

...encurtando, às 17.40 nasce um bebé lindo lindo. "A cru".

Há 9 anos fui mãe.

Há 9 anos fui abençoada com uma Cria maravilhosa que ainda me surpreende com "amo-te, mamã"

Sabes quantos beijos te dou, mãe? Todos.

Parabéns, meu filho. Obrigada.

2 comments:

Luísa said...

Muitos, muitos parabéns às queridas Mãe e Cria. Um beijinho para ambas.

Nocas Verde said...

Cara Luísa,

Pedindo desde já desculpa pelo atraso, agradeço os parabéns.