Monday, 21 September 2009

Mom

Uma semana por ano sou “mãe a tempo inteiro”.

Levo as Crias à escola e faço-lhes todos os mimos.
Os almoços que querem, a roupa vestida quentinha acabada de sair da tábua, a recepção calorosa, tudo o que têm direito.
Todos os anos há uma nova etapa.
Ora a Cv que já quer ir para a escola sozinha, a mãe que “o persegue sem ser vista, para ter mesmo a certeza que as passadeiras são atravessadas como deve ser, ora a Cn que já vai pelo mesmo. Os almoços que começam a ser ensaiados para quando a mãe não está. O micro-ondas, as tartes, a sopa, o(s) lanche(s) que fica(m) separado(s) por saco(s)… os homens que crescem.
Tanto, meu Deus, ainda que tanto reclame, admoeste, ensine e passe sermões.

Os horários curriculares e extra coordenam-se, as tarefas dividem-se, as “sinergias” reclamam-se.
Ontem dei-lhes, confesso, uma dose extra de mimo com lanchinho nocturno (coisa quase proibida lá em casa) e beijos repuxados porque agora, respondi eu quando se espantam, só vos poderei beijar de manhã. Quando a mãe chega já estão a dormir.
E então? – responde aquela estranha criatura que fez doze anos, um homem(!), que me tirou da terra das mulheres normais e me colocou assim, sem dar por ela, na terra das mães, esse país onde não há sossego, nem despreocupação, nem irresponsabilidade mas rios abundantes de momentos brilhantes, carícias, abraços, medos, febres, tosses, fraldas e olhares, muitos olhares; montanhas imensas de sentimentos que não se conseguem descrever (há quem o faça, claro, e muito bem…) um universo alternativo que não pára de me espantar. E então, dizia ele, eu sei que nos beijas tooodas as noites. Eu sinto.

Dois homens que crio. Duas Crias que Deus me colocou nas mãos. Dois seres humanos imensos, complicados de quem tenho a honra de ser mãe.

Uma boa semana para todos. Férias? Só para o ano… snif.
(imagem tirada da net)

10 comments:

Luísa said...

Há dias, Nocas, num dos balanços que vou periodicamente fazendo da vida, concluía que a minha fase mais feliz (até ao presente) foi, mais do que a infância, o período (de 13 ou 14 anos) em que tive de cuidar da minha cria até à sua entrada na adolescência. Há qualquer coisa de único no amor incondicional e na fé absoluta que os filhos votam, nesse período, às mães, que a mim me preencheu completamente. :-)
Uma óptima semana!

nocas verde said...

Querida Luísa, as suas letras são exactamente aquilo a que me referia quando dizia que há pessoas que sabem descrever bem os sentimentos...
Sem dúvida.
uma óptima semana para si também!

CPrice said...

Dois homens que vais ajudar a ser isso mesmo .. homens. E que bem que o fazes.

:) beijo

Ka said...

hmmm e esper conseguir fazer do meu um também :)

Delicioso este teu texto!!!

Beijos

ps - e com toda a certeza que serão bons homens a serem criados assim por ti :)

nocas verde said...

querida CPrice (não me dá nenhum jeito chamar-te assim... adiante)
obrigada. sabes que tentar, tento...
beijos :)

CPrice said...

Once Once always Once .. ;) be my guest querida *

nocas verde said...

Ka,
O Luís, o homem brilhante que conheci, tem também um grande futuro como Homem assim criado!
(de sorriso parvo escrevo)
obrigada, Ka

(e, porque nenhum homem nos lê, fazem muita falta bons homens, não achas?)
(e n.º 2 - excepções feitas aos homens que lerem este post)

nocas verde said...

thnak you, dear
(pode ser cházinha? com acento - à velha do Restelo e tudo?)

CPrice said...

e tudo, e tudo ! ;)

nocas verde said...

muito agradecida :)