Thursday, 4 June 2009

isto hoje não aconteceria, pois não, mãe?

Há vinte anos atrás o mundo assistiu a (mais) um massacre.

As imagens que nos chegaram pareciam tiradas de um filme. Inimagináveis, impensáveis… inconcebíveis.

Na altura pensei “como seria possível?”. Hoje, vinte anos depois, estou menos inocente, menos incrédula. Nos olhos das minhas Crias vejo o que senti na altura e o meu silêncio em resposta ao “isto hoje não aconteceria, pois não, mãe?” foi incómodo, assumindo a forma de uma lágrima teimosa naqueles olhos inocentes tão meus.

Na altura olhei para aquele acontecimento como estudante. Senti-me orgulhosa de haver gente da minha idade capaz de tal actos heróicos, estudantes que se preocupam, agem, lutam.

Hoje olho para os acontecimentos abraçando os meus próprios filhos, pedindo interna e secretamente nunca me ver na posição orgulhosa de mãe de um estudante capaz de um acto tão heróico.

Vinte anos não apagam nada. Celebram-se os “redondos” apenas, como ouvi de uma dessas Mães, apenas para que o Mundo não esqueça. Porque para elas, sei, todos os dias são mais um dia sem os seus meninos.

Que o Mundo não esqueça, minhas Mães.

4 comments:

drengo said...

eles (ainda) não precisam saber que o mundo é mesmo assim. não está fácil, e será cada vez mais difícil, infelizmente.

saúde e paz para todos Vós.
j.

nocas verde said...

Acha mesmo, querido Sire?
Não os quero pessimistas... mas preciso que saibam que o mundo não é, para todos, o conforto que sentem e - às vezes - menosprezam neste nosso ladinho.

também para si e para os seus!

Luísa said...

Foi há vinte anos, Nocas, mas parece que foi há séculos, tão impossível o consideramos. E, no entanto, continua a haver ditadura e violência um pouco por todo o mundo. Como há vinte anos…

nocas verde said...

É exactamente isso. Parece ter sido há já tanto tempo e apenas ontem...
um óptimo fim-de-semana.